segunda-feira, 29 de junho de 2015

MANUAL PRÁTICO DA MULHER SOLTEIRA INDEPENDENTE: Episódio "maldita TPM"




Estou em plena TPM. Sim, o Manual também sofre com as agruras da tensão-pré-menstrua. E como este verdadeiro fenômeno da natureza não dá mole pra ninguém, a maldita TPM varia suas características conforme sua vontade - tipo o cabelo que acorda da maneira que ele quer. Com vocês é assim amigues?
Ok. Você é homem e está lendo o Manual, é nosso fã e se pergunta "Mas qual o problema de ter TPM?" Num primeiro momento é ter excessos de raiva. E eu acho que você a essa altura do campeonato já deve ter sentido na pele o monstro da TPM que vive no nosso intestino escondido.
A gente fica puta por causa de tudo, alguém te faz um elogio você logo manda-tomá-no-cú. Se o sujeito te olha meio torto já vira motivo pra D.R. Isso quando você está numa relação (às vezes, mesmo quando você não está, credo! mas rola, não é girls?).
A gente explica que estar de TPM mas é sempre tirada de maluca, até há casos que o sujeito é afugentado pela maldita. Nós temos amigos homens e cansamos de salvar relacionamentos explicando a situação e pedindo aos fofoletes para dar uma nova chance a moça em questão.
Nós somos a favor do amor sempre. Claro.

O problema é quando a TPM te deixa carente. Aí é de cortar os pulsos porque te transforma na gata-no-cio-insegura-chata-pra-caramba. Odeio. E como explicar para o gostosinho que você tá pegando que você precisa de mais atenção naquele processo? Porque na verdade temos noção que não estamos no nosso estado "normal" e que isso faz com que você se transforme numa mimada ensandecida. É doloroso. É ruim. É repugnante.

Nossa mente manda você não ligar tanto, não exigir tanta atenção, não precisar de tanto elogio, não dar tanta audiência e você tá lá descontrolada completamente freak escrevendo poesia e mandando letra de música no meio da madrugada.

O discurso da mulher-solteira-independente-segura-de-si vai para o ralo amigues. Só te digo isso. E ai? Como fazer? O botão de publicar do Feice não tem volta. Clicou? Já foi. Merda.
A questão é: você explica ou não para o gatinho que você está em estado de alerta-vermelho?

Pois é... Doubts. Doubts. Doubts.

Se você explica pode parecer que tudo o que você sente é mentira e, pode estar dando a entender que o fofitcho não é importante para você, o que não é verdade. E mais, que você é uma maluca transloucada até porque ele certamente não tem ideia do que é ficar fora de si mesmo que esteja consciente disso.

Se você NÃO explica... ele vai achar que você, mulher solteira independente, é a maior drama queen do universo. Pegajosa, dramática, carente. Ou seja, tudo aquilo que você não quer ser e de fato não é vai parecer o oposto. A gente não saiu dos livros de Joaquim Manoel de Macedo. Socorro. Chupa-essa-manga.

Eu resolvi contar.

Resultado?

Um "tadinha" e depois silêncio sepulcral.

Contar não muda nada, não tem relação direta que o jovem mancebo irá se sensibilizar, portanto, tenho algumas sugestões...

Conselho do Manual para as moças com TPM: Amigues, se vocês resolverem contar ou não, mandar recados, fazer loucuras, assumam e cabeça erguida. Tem gente que culpa a bebida, se for necessário beba. Se não for...manda um foda-se para o que o carinha pensa e segue a vida.

SE ele for legal nem vai ligar, SE ele for escroto já dará indícios disso, então já é um serviço que te presta... Hello. Vira o jogo a seu favor gata-garota. Eu heim!

Outro conselho é o famoso chocolate, sim, coma. Sem medo de ser feliz e com vontade, homem gosta de mulher gulosa. Depois você entra no Insta de alguma musa fitness e recupera tudo, toma aqueles sucos verdes horrendos, fica vigiando se as comidas têm gluten e pronto. Ou então queima tudo com SEXO, que é o que a gente do Manual prefere mais e super recomenda! Faz bem pra pele e você ainda recupera o brio que escorreu pelo ralo.

Ah, as compras... sim, se mime. Quando for ligar pro sujeito, entra no site que você mais ama e cai dentro. Com critério, claro. Mas é a hora de você comprar aquele sapato que você namorou por semanas e precisava de uma justificativa. AMORE, A HORA É ESSA. Eu comprei um tênis. Lindo. Vou usar amanhã mesmo. Virou meu "tênis-TPM".

Dica do Manual para os homens fofoletes: Amore, como explicado no nosso post... Não somos carentes, somos mulheres, e por isso mesmo temos tensão-pré-menstrual. Se nenhuma amiga te ajudou, a gente te salva de pagar mico e escrotizar alguma moça super legal que você anda saindo.
Ela é normal tá? Ela é bacana e continua a mesma mulher independente, só que em alguns dias do mês ela deixa o Alien que vive e se esconde dentro do intestino dela surgir. É como se baixasse um caboclo resmunguento nela, saca? Passa. Sobe. Vai.

E se, ainda por cima, além de compreensivo, você for atencioso passa com mais prazer, mais rápido e ainda pode ganhar várias estrelinhas com ela. Fazer média com a moça em apuros não é nada mal heim? Se liga.

Agora... se você não está nem aí, não quer saber dos males femininos e quer mais fugir de mulher com TPM. Aí o Manual não vai perder tempo. Enfia-o-dedo-no-cú-e-roda. Passa longe mesmo. Em tempos atuais o mínimo que se espera de um sujeito é que ele seja mais do que um pau.

Se você é só um pau, nem leia o Manual amor, beijo e não me liga. Sou mais o meu vibrador.

quarta-feira, 24 de junho de 2015

MANUAL PRÁTICO DA MULHER SOLTEIRA INDEPENDENTE: Episódio "Se o homem te humilha publicamente, corra Lola,corra"


Eu tento com todas as minhas forças não escrever tanto, mas as coisas se revelam na minha frente, nos atos mais corriqueiros, e aí já viu... Aconteceu, chegou no Manual. Segue a contribuição de hoje:

Etnografia no supermercado num fim de noite

Uma família está na minha frente no caixa. Pai, mãe e uma menina de uns 7 anos. A garota lê em voz alta informações contidas num pacote de cookies saudáveis que estavam pendurados na gôndola:
"Pai, olha, baixo colesterol, sem gordura trans e zero açúcar, então é muito bom porque não faz mal".
O pai balança com a cabeça mostrando concordar com ela.

Penso comigo "Meu Deus, que mundo mudado, quando eu tinha essa idade só queria comer Lolo, Batom, e nem imaginava o que era gordura, açúcar e tals, que mundo moderno gente, as crianças agora estão lendo a embalagem, assumindo o controle das suas decisões, que família bacana, que pais atenciosos que a estão fazendo compreender o que é bom na alimentação".

Olhei atentamente para o carrinho deles, tinha alface, legumes, uma carne, alguns temperos, e itens de limpeza. Achei ok. Olhei para o meu: lasanha congelada, escondidinho congelado, linguiça, manteiga, pão (3 tipos), batata frita congelada, cream cheese, queijos, velas para mosquito, carefree, itens de limpeza e chocolates (no plural mesmo). Me achei a última das mortais. Se você é o que você come, eu sou um lixo. Um lixo caro, diga-se de passagem, mas um lixo.

ATÉ QUE...

A mãe chega para o marido e diz "ah, eu to precisando de absorvente, vou ali pegar". O cara meio puto manda a pérola em alto bom som "Ah, você sempre quer comprar tudo, pra que isso agora? Não dá pra esperar? Vai comprar junto com isso tudo aqui? Você não tem jeito, você sempre arruma alguma coisa pra comprar pra você".

Oi?

Cadê o pai maneiro?

Foi mal ai... olhei pra cara da mulher, triste, envergonhada e humilhada. Tinha uma barriga proeminente de puro desleixo com a postura corporal, um cabelo sem cuidados, cara lavada, unhas mal feitas e uma aparência de dar dó. Ele mega sarado, morenasso-do-tipo-pego-peso-pra-ficar-gostoso, usava camisa polo agarradinha, calça jeans e um tênis bacanoso.

Tomar no cú.

Olho de novo pra mim e pro meu carrinho. Eu como lixo, mas eu não sou nem um pouco um lixo e ninguém nunca vai me tratar daquela maneira, muito menos me fazer passar vergonha por ter que comprar um absorvente num supermercado. NUNCA.

Deus salve minha lucidez, meu brio, e meu estado de espírito independente. Amém.

(Detalhe: me deu vontade de comprar o absorvente mais caro pra mulher só pra jogar na cara do imbecil que eu não preciso de homem nenhum)

Conselho do Manual para você mulher solteira que reclama da sua condição: Amor, se liga, tem gente sendo escrotizada porque precisa comprar itens de higiene, diga-se de passagem... produto de necessidade básica. Reclama não heim...melhor solteira, trabalhando e pagando seu próprio OB, vinho caro e queijo que ter um babaca controlando sua vida, suas contas ou te humilhando no meio da rua. Fala sério. Se você encontrar um homem desse jeito pelo-amor-da-nossa-senhora-da-buceta-orgulhosa, corra Lola, corra.

Na verdade, você gata-garota precisa resolver essa questão com você mesma. A família ideal não existe, muito menos o cara boa-praça-que-vai-te-dar-tudo-que-você-merece. Se você está esperando isso acontecer... na boa..É pra rir? Pois é, vou te contar uma coisa: ele não existe. Todos vêm com defeito de fábrica tá? Inclusive nós...Esse não é um papo nazifeminista, longe disso, mas cuidado quando você compara e se acha menor ou em desvantagem... na boa, meu carrinho de supermercado tinha muito mais dignidade que o carrinho da família-saudável. Amo linguiça. E vai ter sempre no meu carrinho de supermercado. Prontofalei.


Dica do Manual para os mancebos: Fofitchos, se você é casado e sua companheira precisa comprar absorvente, pelo amor de Deus, compre o mais caro, o da preferência dela...afinal de contas, a buceta dela é o seu playground, preciso ser mais clara? Atenção, atenção. Se ela está num momento financeiro difícil nunca a deixe se sentir uma incompetente ou insegura por isso. Ganhe estrelinhas com ela e seja generoso ao extremo, ela já se sente mal por estar em situação vulnerável ok?
Se você é solteiro...amor, esse Manual é pra você também... trate de coçar o bolso e ser gentil. Dar presentes estabelece vínculos entre as pessoas, ai está o paradigma da dádiva do sociólogo Marcel Mauss (dar, receber, retribuir)...seja fofo, cavalheiro e entregue-se ao deleite de prazeres comuns junto com a possível mulhe-amada. Afinal de contas, cobra que não anda não engole sapo, no caso aqui, perereca. Portanto, dê o primeiro passo sempre. Se mamãe deixou passar essa lição, a gente te ajuda. Qualquer dúvida escreva pra gente.

MANUAL PRÁTICO DA MULHER SOLTEIRA INDEPENDENTE: Episódio "Xico sá"


Amigues, eu não sei vocês mas todo homem deveria ter uma pitada de Xico Sá. Bom humor, inteligência e um quê de canalhice. Ele, um apreciador da alma, do espírito e, sobretudo, do corpo feminino -seja ele de que tamanho, forma, cor que tiver - sempre nos surpreende com seus galanteios canastrões e safados. Uma espécie de amante a moda antiga com a breguice que nos é devida. Não liga se as mulheres são independentes e poderosas, não se amedronta dela ser protagonista porque sabe que seu pau em algum momento será maior que o dela. E se é. Xico Sá é o Vinícius de Moraes Nordestino, um tanto mais arretado, poético, de tiradas curtas e humor ácido, apreciador das coisas boas da vida...beber bem, comer bem, viver bem, devorar bem.
E como diz o não dito...E nos aprecia sem muito critério, afinal de contas pra que problematizar se podemos simplesmente "subir a serra"?!

O Manual recomenda: Leia Xico Sá e venha engrossar a torcida (des) organizada das amantes platônicas do cronista preferido das mulheres solteiras independentes.

'Serviço de quarto', por Xico Sá

"Toda mulher sonha com uma bela viagem com o homem dela. Pode ser uma viagem romântica, Paris, Roma, etc, ou pode ser uma viagenzinha normal, mais curta, como, por exemplo, subir a serra.
Seja a Serra Fluminense, indo do Rio para Araras, ou seja a Serra Gaúcha. A serra perto da sua casa. Mulher só pensa em subir, subir e subir. A mulher só pensa nisso.
O mero deslocamento já faz a moça achar que vai ter sexo! E não é qualquer 'sexozinho' vagabundo. Vai ter sexo mais gostoso, quase a reinvenção do 'kama sutra', como se sair de casa significasse essa coisa toda.
Ela acha que basta mudar o CEP para mudar o homem. O que fazer, amigos? 'Bora' nessa! Não há como fugir, meu velho. O negócio é subir a serra, elevar o pensamento. Estou aqui subindo amigos, oremos."

segunda-feira, 22 de junho de 2015

MANUAL PRÁTICO DA MULHER SOLTEIRA INDEPENDENTE: Episódio “O Show do Fábio JR.”


Amigues, o manual também é cultura.
Esse post é meio longo, mas vale à pena, garanto. A experiência foi reveladora e muito marcante. Chego a dizer que nunca mais fui a mesma depois da aventura antropológica. Anos atrás algumas amigas me chamaram para ir ao show do Fábio Jr, a empolgação delas foi tamanha que resolvi fazer. Pensei comigo “se o cara está até hoje dominando o mercado feminino justifica a investigação”
Sim, caras leitoras, nós do manual fizemos este investimento em prol do entendimento da compreensão dos ídolos bregas femininos que marcaram nossa história e embalaram romances, nas novelas e na vida real. Uau!
Já tinha uma certa noção do que iria encontrar por lá... mas nada chegava perto do que realmente se traduz quando se vai a um show de um sexy symbol daquele naipe.
Chegamos a casa de show com 15 minutos de antecedência, e já no estacionamento, uma imagem dava os sinais do que encontraríamos lá dentro. Primeiro presságio: passou pela gente, uma jovem senhora vestido crepe de seda, um rabo enorme rebolante, saltos altíssimos, bolsinha de veludo com alças de corrente dourada, cabelos com laquê... “ela iria a um casamento suburbano?” Pensei de forma maldosa (confesso)
Socorro...
Outro sinal dado antes de entrar no show: uma placa na bilheteria indicando a entrada do camarote – CAMAROTE DA RÁDIO NATIVA. Pra quem não é do Rio de Janeiro, a rádio em questão é a rádio do povão, do suor, das ném, das galera-tudo, é nóis, saca?
Como essa rádio é a voz do povão estávamos em boas mãos, porque a voz do povo é a voz de Deus. O camarote ficava numa localização privilegiada e eu daria uma unha do pé pra estar lá... mas enfim... vimos uma filha de mulheres, todas maquiadíssimas e feitas no puro glamour. Morremos de inveja. Porque o manual adora um brilho sabem? E era aquilo, muito tudo, muito olho, muita boca, muito carão, muita bunda, peito, muito tamanco com salto de acrílico e muitos decotes e muita gente falsamente loira... Esquenta!
Comecei a ver que estava no purgatório e que a própria visão do inferno estava por vir... e veio.
Entramos na casa de show...ansiedade se sentia no ar. Tudo lotado de mulheres altamente frenéticas, eram cheiros variados, muito perfume misturado, gerações de mulheres indo ao show do Fábio JR. Dava pra perceber que tinha além das mães, filhas e avós compartilhavam o mesmo gosto, o que achamos incrível. Alguns homens estavam presentes, mas eram minoria (claro), e me pareceram serem daqueles companheiros fofos, namorados e maridos que estavam ali para fazer figuração, por amor mesmo. O manual prático da mulher solteira independente aconselha: procurem homens fofos que te levem ao show do Fábio JR.
As pessoas pareciam estar numa euforia sexual sem igual, o clima era de excitação extrema, ficamos sentadas atentas a tudo. Algumas mulheres tinham faixas na cabeça, com o nome do cantor escrito em letras brilhantes de purpurina, estavam todas ansiosas, a cortina do palco continuava fechada. Até que...
Há um sinal de vida... dá-se início aos avisos, medidas de segurança, proibições, um verdadeiro bla-bla-bla que ninguém prestava atenção, elas queriam o Fábio JR...
A cortina se abre, a cenografia se apresenta, e era pavorosa. Chacrete sem Chacrinha não é legal (kkkk). Uma teia meio mal feita no fundo, com umas luminárias em forma de diamantes penduradas por todo palco, parecia mais enfeites de escola de samba (nós do manual temos bom gosto, e a gente ama o Gringo Cardia e a Bia Lessa né?!). O palco estava iluminado por umas luzes coloridas, vermelhas às vezes, outras eram brancas, e depois azuis... As mulheres todas começam a gritar, nós do manual entramos no clima também...claro.
Fábio aparece no palco, “Devia ter amado mais, ter chorado mais, ter visto o sol nascer...”
A mulherada entra em delírio, gritam, dizem “eu te amo” de forma alucinada como se o cantor a metros de distância pudesse ouvir, o chamam de lindo, e vi algumas dando pulinhos de alegria. Ele usava calça jeans, sapato claro, camisa branca e um blazer cor de rosa bebê, o cabelo estava mais curto, nada de mullet... então, em nenhum momento o vi fazendo aquele movimento de sacudir o cabelo.
Caras amigues leitoras do Manual, respirem fundo. A gente vai contar a verdade pra vocês.
BANHO DE REALIDADE: O Fábio Jr é na verdade um velhinho magrinho, pernas que se revelaram muito finas dentro de uma calça jeans justa... ele era também meio inquieto e dava pra ver que amava aquela bajulação feminina. Um inseguro cheio de toques e manias, tanto que casou 7 vezes. Helloooo, por que será? Meda!
Logo depois cantou “Demorei muito pra te encontrar, agora eu quero só você”... bracinhos foram levantados e dançavam no ar de lá pra cá, como um ballet com as mãos (inclusive os meus, confesso), era a minha música favorita da plateia e ele canta muita bem, o jogo de luzes dá um tom diferente conforme a música... na minha opinião do Manual tudo aquilo era mega blaster brega e foi demais! Manual indica. Vá e entre no clima!
Sobre as mulheres... posso afirmar que era a maior concentração de escova de meia idade por metro quadrado, a maioria loira, daquelas que pintam o cabelo em casa, um loiro meio cenoura, porque tintura loira que a gente compra de caixinha é bem diferente das do salão profissional. A maioria vestida como se fosse a um evento, um casamento, tudo muito bordado, muito canutilho, muito paetê, um verdadeiro show de strass e sutiãs de alça de silicone aparente.
Nós do Manual nos divertimos muito. Cantamos, fizemos coreografia, cantamos e gritamos em coro, fizemos tudo que uma fã do Fábio faz, ou quase tudo...
Uma determinada hora o vovô-nostalgia-sex-symbol para de cantar depois da terceira música, e começa a falar, tudo texto marcado, cheio de frases feitas, “eu é que amo vocês, se não fosses vocês eu não estaria aqui”... um blá- blá sentimentalóide que era cômico, será que alguém leva esse papinho a sério? Olhei pro lado... e vi que elas levam sim. Resolvemos amar tudo que ele estava falando e acreditar em tudo, suspiramos.
O show foi se arrastando, tinha horas que queríamos sumir, outras não... O ponto alto do evento foi quando ele começa a cantar: “Senta aqui... Não tenha tanta pressa, senta aqui...” e toda vez que ele cantava “Senta aqui”, levantava a perninha magrinha e batia com a mão, a mulherada urrava... e era pavoroso ver a perninha magrinha levantada... e todo mundo achando maravilhoso! Será que somos críticas demais? Olhei pra minha amiga que estava perto de mim, ela gargalhava horrores... sim, o Fábio Jr é um velhinho sem noção.
Até que ele foi pra um canto do palco, as luzes se apagaram e tudo ficou iluminado com os diamantes (aqueles que parecem enfeite de escola de samba), ele sentou num canto e acendeu alguma coisa, (eu pensei que seria uma estrelinha, já estava em cólicas na cadeira, será que podia ficar pior??? Pensei comigo mesma), mas não... ele acendeu um incenso... e começou a falar do pai dele, da oração que o pai escreveu, e ele rezou gente! Isso mesmo, ele fechou os olhos e rezou! Puta que pariu! Daí... começou...
“Pai, pode ser que daqui a algum tempo. Haja tempo pra gente ser maisMuito mais que dois grandes amigos, pai e filho talvez...”
Nada mais previsível, o silêncio tomou conta do lugar, as mulheres respeitavam a dor da perda do pai dele... depois de 25 anos o Fabio Jr chorou... ele chora todas as vezes que canta a música no show????? Sei, vamos fingir que acreditamos, era tudo muito encenado, um artista de fato!
Ele troca de roupa, sai do palco tirando o blazer rosa, a mulherada delira, os 5 negrões do backing vocal cantam umas músicas chatas e todas meio gemidas, uma coisa meio Ed Motta... “a noite vai ser boooooooaaaa... de tudooooo vaiiiiii roolaaaaarrrrr” e por ai vai...
Ele volta todo de cinza, um terno sóbrio muito bem cortado, recomeça enfim a cantar, e percebo que ele geme a cada refrão, e as mulheres suspiram, gostam do gemido dele... De repente, há um movimento e todas invadem a frente do palco e corredor, ele é puxado pra baixo, fica passeando na beirada do palco cumprimentando suas fãs, e um mar de flashes invadem o lugar, algumas sobem na cadeira, e eu subi também, eu queria ver o que estava acontecendo, outras se levantam e dançam...
O show estava chegando ao fim, um mulher invade o palco, cabelo loiro caxinha, na cintura, vestia calça da gang black jeans, e uma blusa roxa toda em paetês, ela agarra o velhinho e salpica um beijo de língua, segura a cabeça dele e enfia a língua mesmo, com força, ela é retirada do palco pelo segurança, outras tentam fazer o mesmo, é um festival de mulher agarrando o cantor, permaneço olhando tudo, na minha tentando registrar cada detalhe... morro de rir de tudo... era tudo muito inusitado.
Ele continua falando abobrinhas senso comum entre uma música e outra, um lixo parecido com o que Paulo Coelho escreve (foi mal Paulo Coelho mas o Manual não curte você), fala em amor, em destino, em seres humanos em bem e mal... um horror...
O show vai chegando ao fim, foram quase 2 horas e um das experiências antropológicas mais ricas que vivemos até hoje... talvez só o Sidnei Magal mesmo pra barrar essa comoção, ou então o Roberto Carlos... O Manual vai contar pra vocês a experiência porque já fomos aos shows deles. A gente leva muito a sério o amor brega brasileiro.
Fábio pega um buquê de rosas brancas, beija cada flor, se benze e joga uma a uma pras suas fãs, faz isso incessantemente até o ramalhete acabar...
Ele se despede e agradece: "OBRIGADUUU"... a cortina se fecha, não há bis, ficamos esperando e nada, até que depois de alguns longos minutos esperando, cansamos e fomos pra casa. Rimos o tempo todo, o melhor foram os nossos comentários na volta pra casa... gostamos do show, as companheiras do Manual ficaram tão empolgadas que fizeram altos planos para voltar no ano seguinte.
Além da diversão dos comportamentos femininos de meia idade observados naquele lugar... saímos de lá com um sentimento de pena quando olhei para o lado na saída e ví muitos homens com seus semblantes cansados...me pus no lugar deles e fiquei com uma pena enorme dessa legião de bons namorados e maridos, que por amor às suas companheiras, tiveram que encarar não só o show do Fábio Jr, mas tiveram que aturar as suas mulheres gritando e urrando de tesão por um velhinho de perna fina.
Dica do Manual para as amigues leitoras: Vá ao show do Fábio JR. Amamos. É clássico e você vivenciará uma verdadeira aventura antropológica. Aposte nisso.
Conselho do Manual para os bofes: Se vocês estão soltinhos pipa-avoada e estão querendo fazer média com uma mulher solteira, a acompanhe no show brega, cante, e vale até grava parte de uma música pra mandar pra ela depois via whatsapp. Não reclame. Curta. Faça concessões. Você ganhará muitas estrelinhas. No entanto, se você for escroto, ai fofis, fica na sua, e continue tocando punheta em casa. Se o seu amor quer cantar música romântica que seja ao seu lado, concorda? Seja esperto.

MANUAL PRÁTICO DA MULHER SOLTEIRA INDEPENDENTE: Episódio "Chega de sofrência gata-garota, empodere-se"


O Manual tem escutado muitas colaboradoras nos últimos tempos. Algumas mulheres solteiras independentes têm feito grandes contribuições acerca dos relacionamentos contemporâneos e um deles gostaríamos de trazer para o debate: a dificuldade em acreditar no outro
E quanto dizemos outro estamos nos referimos aos bofes (afff). Vivemos imersas em uma vida em que full time somos levadas a nos pensar (e acreditar) como objetos sexuais, diversas vezes algo que nos deprecia ou nos coloca em posição de desvantagem. Não estamos aqui investindo em um discurso feminista, não é isso, mas as situações chegam e vivem esfregando na nossa cara como a sociedade nos vê e os fofitchos nos tratam.
Muitas vezes, sem perceber somos usadas por eles, sofremos bullying, introjetamos preconceitos, nos tornamos complacentes com tudo. Se o cara broxa a culpa é nossa, se ele simplesmente desiste da relação a gente chora e depois assume a dívida "o problema sou eu, eu não me dediquei, poderia ter sido menos egoísta", se o cara não liga no dia seguinte passamos o passo a passo da noitada na nossa mente, lembramos cada momento da saída para averiguar, tal como um detetive, em que momento erramos. Ai o Manual te faz um desafio: será que erramos tanto assim?
E eles lá... se sentem senhores-da-razão,uma espécie de reis da cocada preta segurando seus magnânimos cetros (ai ai ai, o que uma sociedade centralizada no falo não faz!) vivendo suas vidas de faz-de-conta-que-eu-sou-o-centro-do-universo porque simplesmente nós deixamos.
Tudo se resume a poder e isso na nossa sociedade se traduz em sexo e dinheiro. Tudo é conquista, tudo é provar pros outros que podem comprar isso ou aquilo ou conseguem conquistar qualquer mulher... e, por ai, mulheres, seguimos o rumo da nossa existência batendo cabeça, conquistando e sarando feridas, como consequência ficamos alertas, atentas, antenadas e desconfiadas.
Eu não sei vocês MAS ESTOU CANSADA.
E a pergunta que não nos saí da cabeça é: Até quando?
Até quando iremos cair nesse conto do vigário?
Até quando a gente de fato precisa de um homem pra ser feliz?
Até quando a gente vai endossar uma tradição paternalista e nos culpar?
Até quando iremos viver dessa maneira?
O MANUAL ALERTA:
Ah gata-garota acorda! Empodere-se!
Homem é bom, nós sabemos e gostamos, mas definitivamente não é o centro de tudo, no way!
Se descubra, se esforce em viver uma vida inteira por você mesma, e daí que não encontrou um cara-boa-praça-parceiro? (foda-se e siga em frente!), já parou pra pensar que você pode viver uma vida e simplesmente não achar? Vai ficar criando frustração pra você mesma? Olha que isso é burrice heim!
Sim, eu sei, eles existem e você tem exemplos incríveis de amigas que encontraram o cara maneiro...mas olha, o Manual vai te dar só uma dica, como diz o ditado "só sabe da quentura da panela é a colher que mexe" e por mais que você tenha intimidade o suficiente para conhecer o casal inspirador só mesmo estando DENTRO da relação pra saber. Hello!
Ninguém fica por aí alardeando fraqueza, se liga amore, nada é perfeito...mas você já sabe disso certo? Então pega esse aprendizado e USA!
Conselho para as amigues do Manual: Alou mulher solteira independente faça um desafio para você mesma. Não teve aquela menina fashionista que ficou um ano sem comprar Zara? Faça um exercício e fique um tempo focada em você, passe um tempo sem procurar ninguém. Curta seus amigos, sua família, sua irmã casada que você quase não dá atenção. Ela deve ter ótimas experiência pra te contar sobre a vida de casada. Dê menos atenção para as cobranças. Se dê grandes presentes, como por exemplo uma viagem, e por que não fazer isso sozinha? Compre um vibrador e vá conhecer o seu corpo, brinque mais, ria mais, beba espumante com seu amigo viado e faça desfile de moda para o seu espelho. Goste de você e exercite esse gostar diariamente. Um dia você estará certa de que você sim é uma mulher incrivelmente interessante, será que precisamos dos outros - ou melhor, dos homens - pra ter certeza disso? Não né!
Dica para os fofichos-que-se-acham-reis-da-cocada-preta: Amores do meu coração, o Manual sabe que muitos ficarão com raiva ao ler este post, mas a gente não tá nem ai, fodam-se. Para bom entendedor pingo é letra então se você não é nenhum canalha, vai apenas concordar com a gente e respeitará nosso espaço, nossas negativas, e nossa forma de pensar. Será de fato um fofo consciente e lembrará dos seus amigos cafajestes que te contam vantagens durante o intervalo do trabalho. Ou das conversas de bar que vocês têm, das risadas escotas que vocês dão quando falam das mulheres com as quais saíram. Não, somos santas, mas muitas vezes somos injustiçadas e isso não vem de hoje.
Se você é um "cafa" (cafajeste)...amor, o que desejamos pra você é o encontro de uma mulher-ninja pela frente que te mostre como é estar do outro lado. Que esta mulher te fragilize, te deixe inseguro e que termine a relação com você por sms ou whatsapp, que ela faça você se ligar que o mundo não é seu reino e muito menos nós não somos súditas. Prontofalei. Agora podem falar mal da gente porque como já dissemos estamos super acostumadas. A diferença é que temos uma segurança absurda.O MANUAL PRÁTICO DA MULHER SOLTEIRA INDEPENDENTE ESTÁ AÍ PRA PROVAR ISSO. Beijo e não me liga.

sexta-feira, 19 de junho de 2015

MANUAL PRÁTICO DA MULHER SOLTEIRA INDEPENDENTE: Episódio “O Show do Fábio JR."



Amigues, o manual também é cultura.
Esse post é meio longo, mas vale à pena, garanto. A experiência foi reveladora e muito marcante. Chego a dizer que nunca mais fui a mesma depois da aventura antropológica. Anos atrás algumas amigas me chamaram para ir ao show do Fábio Jr, a empolgação delas foi tamanha que resolvi fazer. Pensei comigo “se o cara está até hoje dominando o mercado feminino justifica a investigação”

Sim, caras leitoras, nós do manual fizemos este investimento em prol do entendimento da compreensão dos ídolos bregas femininos que marcaram nossa história e embalaram romances, nas novelas e na vida real. Uau!

Já tinha uma certa noção do que iria encontrar por lá... mas nada chegava perto do que realmente se traduz quando se vai a um show de um sexy symbol daquele naipe.

Chegamos a casa de show com 15 minutos de antecedência, e já no estacionamento, uma imagem dava os sinais do que encontraríamos lá dentro. Primeiro presságio: passou pela gente, uma jovem senhora vestido crepe de seda, um rabo enorme rebolante, saltos altíssimos, bolsinha de veludo com alças de corrente dourada, cabelos com laquê... “ela iria a um casamento suburbano?” Pensei de forma maldosa (confesso)

Socorro...

Outro sinal dado antes de entrar no show: uma placa na bilheteria indicando a entrada do camarote – CAMAROTE DA RÁDIO NATIVA. Pra quem não é do Rio de Janeiro, a rádio em questão é a rádio do povão, do suor, das ném, das galera-tudo, é nóis, saca?
Como essa rádio é a voz do povão estávamos em boas mãos, porque a voz do povo é a voz de Deus. O camarote ficava numa localização privilegiada e eu daria uma unha do pé pra estar lá... mas enfim... vimos uma filha de mulheres, todas maquiadíssimas e feitas no puro glamour. Morremos de inveja. Porque o manual adora um brilho sabem? E era aquilo, muito tudo, muito olho, muita boca, muito carão, muita bunda, peito, muito tamanco com salto de acrílico e muitos decotes e muita gente falsamente loira... Esquenta!

Comecei a ver que estava no purgatório e que a própria visão do inferno estava por vir... e veio.

Entramos na casa de show...ansiedade se sentia no ar. Tudo lotado de mulheres altamente frenéticas, eram cheiros variados, muito perfume misturado, gerações de mulheres indo ao show do Fábio JR. Dava pra perceber que tinha além das mães, filhas e avós compartilhavam o mesmo gosto, o que achamos incrível. Alguns homens estavam presentes, mas eram minoria (claro), e me pareceram serem daqueles companheiros fofos, namorados e maridos que estavam ali para fazer figuração, por amor mesmo. O manual prático da mulher solteira independente aconselha: procurem homens fofos que te levem ao show do Fábio JR.

As pessoas pareciam estar numa euforia sexual sem igual, o clima era de excitação extrema, ficamos sentadas atentas a tudo. Algumas mulheres tinham faixas na cabeça, com o nome do cantor escrito em letras brilhantes de purpurina, estavam todas ansiosas, a cortina do palco continuava fechada. Até que...

Há um sinal de vida... dá-se início aos avisos, medidas de segurança, proibições, um verdadeiro bla-bla-bla que ninguém prestava atenção, elas queriam o Fábio JR...

A cortina se abre, a cenografia se apresenta, e era pavorosa. Chacrete sem Chacrinha não é legal (kkkk). Uma teia meio mal feita no fundo, com umas luminárias em forma de diamantes penduradas por todo palco, parecia mais enfeites de escola de samba (nós do manual temos bom gosto, e a gente ama o Gringo Cardia e a Bia Lessa né?!). O palco estava iluminado por umas luzes coloridas, vermelhas às vezes, outras eram brancas, e depois azuis... As mulheres todas começam a gritar, nós do manual entramos no clima também...claro.

Fábio aparece no palco, “Devia ter amado mais, ter chorado mais, ter visto o sol nascer...”
A mulherada entra em delírio, gritam, dizem “eu te amo” de forma alucinada como se o cantor a metros de distância pudesse ouvir, o chamam de lindo, e vi algumas dando pulinhos de alegria. Ele usava calça jeans, sapato claro, camisa branca e um blazer cor de rosa bebê, o cabelo estava mais curto, nada de mullet... então, em nenhum momento o vi fazendo aquele movimento de sacudir o cabelo.

Caras amigues leitoras do Manual, respirem fundo. A gente vai contar a verdade pra vocês.

BANHO DE REALIDADE: O Fábio Jr é na verdade um velhinho magrinho, pernas que se revelaram muito finas dentro de uma calça jeans justa... ele era também meio inquieto e dava pra ver que amava aquela bajulação feminina. Um inseguro cheio de toques e manias, tanto que casou 7 vezes. Helloooo, por que será? Meda!

Logo depois cantou “Demorei muito pra te encontrar, agora eu quero só você”... bracinhos foram levantados e dançavam no ar de lá pra cá, como um ballet com as mãos (inclusive os meus, confesso), era a minha música favorita da plateia e ele canta muita bem, o jogo de luzes dá um tom diferente conforme a música... na minha opinião do Manual tudo aquilo era mega blaster brega e foi demais! Manual indica. Vá e entre no clima!

Sobre as mulheres... posso afirmar que era a maior concentração de escova de meia idade por metro quadrado, a maioria loira, daquelas que pintam o cabelo em casa, um loiro meio cenoura, porque tintura loira que a gente compra de caixinha é bem diferente das do salão profissional. A maioria vestida como se fosse a um evento, um casamento, tudo muito bordado, muito canutilho, muito paetê, um verdadeiro show de strass e sutiãs de alça de silicone aparente.

Nós do Manual nos divertimos muito. Cantamos, fizemos coreografia, cantamos e gritamos em coro, fizemos tudo que uma fã do Fábio faz, ou quase tudo...
Uma determinada hora o vovô-nostalgia-sex-symbol para de cantar depois da terceira música, e começa a falar, tudo texto marcado, cheio de frases feitas, “eu é que amo vocês, se não fosses vocês eu não estaria aqui”... um blá- blá sentimentalóide que era cômico, será que alguém leva esse papinho a sério? Olhei pro lado... e vi que elas levam sim. Resolvemos amar tudo que ele estava falando e acreditar em tudo, suspiramos.

O show foi se arrastando, tinha horas que queríamos sumir, outras não... O ponto alto do evento foi quando ele começa a cantar: “Senta aqui... Não tenha tanta pressa, senta aqui...” e toda vez que ele cantava “Senta aqui”, levantava a perninha magrinha e batia com a mão, a mulherada urrava... e era pavoroso ver a perninha magrinha levantada... e todo mundo achando maravilhoso! Será que somos críticas demais? Olhei pra minha amiga que estava perto de mim, ela gargalhava horrores... sim, o Fábio Jr é um velhinho sem noção.

Até que ele foi pra um canto do palco, as luzes se apagaram e tudo ficou iluminado com os diamantes (aqueles que parecem enfeite de escola de samba), ele sentou num canto e acendeu alguma coisa, (eu pensei que seria uma estrelinha, já estava em cólicas na cadeira, será que podia ficar pior??? Pensei comigo mesma), mas não... ele acendeu um incenso... e começou a falar do pai dele, da oração que o pai escreveu, e ele rezou gente! Isso mesmo, ele fechou os olhos e rezou! Puta que pariu! Daí... começou...

“Pai, pode ser que daqui a algum tempo. Haja tempo pra gente ser maisMuito mais que dois grandes amigos, pai e filho talvez...”

Nada mais previsível, o silêncio tomou conta do lugar, as mulheres respeitavam a dor da perda do pai dele... depois de 25 anos o Fabio Jr chorou... ele chora todas as vezes que canta a música no show????? Sei, vamos fingir que acreditamos, era tudo muito encenado, um artista de fato!

Ele troca de roupa, sai do palco tirando o blazer rosa, a mulherada delira, os 5 negrões do backing vocal cantam umas músicas chatas e todas meio gemidas, uma coisa meio Ed Motta... “a noite vai ser boooooooaaaa... de tudooooo vaiiiiii roolaaaaarrrrr” e por ai vai...

Ele volta todo de cinza, um terno sóbrio muito bem cortado, recomeça enfim a cantar, e percebo que ele geme a cada refrão, e as mulheres suspiram, gostam do gemido dele... De repente, há um movimento e todas invadem a frente do palco e corredor, ele é puxado pra baixo, fica passeando na beirada do palco cumprimentando suas fãs, e um mar de flashes invadem o lugar, algumas sobem na cadeira, e eu subi também, eu queria ver o que estava acontecendo, outras se levantam e dançam...

O show estava chegando ao fim, um mulher invade o palco, cabelo loiro caxinha, na cintura, vestia calça da gang black jeans, e uma blusa roxa toda em paetês, ela agarra o velhinho e salpica um beijo de língua, segura a cabeça dele e enfia a língua mesmo, com força, ela é retirada do palco pelo segurança, outras tentam fazer o mesmo, é um festival de mulher agarrando o cantor, permaneço olhando tudo, na minha tentando registrar cada detalhe... morro de rir de tudo... era tudo muito inusitado.

Ele continua falando abobrinhas senso comum entre uma música e outra, um lixo parecido com o que Paulo Coelho escreve (foi mal Paulo Coelho mas o Manual não curte você), fala em amor, em destino, em seres humanos em bem e mal... um horror...

O show vai chegando ao fim, foram quase 2 horas e um das experiências antropológicas mais ricas que vivemos até hoje... talvez só o Sidnei Magal mesmo pra barrar essa comoção, ou então o Roberto Carlos... O Manual vai contar pra vocês a experiência porque já fomos aos shows deles. A gente leva muito a sério o amor brega brasileiro.

Fábio pega um buquê de rosas brancas, beija cada flor, se benze e joga uma a uma pras suas fãs, faz isso incessantemente até o ramalhete acabar...

Ele se despede e agradece: "OBRIGADUUUUUUU"... a cortina se fecha, não há bis, ficamos esperando e nada, até que depois de alguns longos minutos esperando, cansamos e fomos pra casa. Rimos o tempo todo, o melhor foram os nossos comentários na volta pra casa... gostamos do show, as companheiras do Manual ficaram tão empolgadas que fizeram altos planos para voltar no ano seguinte.

Além da diversão dos comportamentos femininos de meia idade observados naquele lugar... saímos de lá com um sentimento de pena quando olhei para o lado na saída e ví muitos homens com seus semblantes cansados...me pus no lugar deles e fiquei com uma pena enorme dessa legião de bons namorados e maridos, que por amor às suas companheiras, tiveram que encarar não só o show do Fábio Jr, mas tiveram que aturar as suas mulheres gritando e urrando de tesão por um velhinho de perna fina.

Dica do Manual para as amigues leitoras: Vá ao show do Fábio JR. Amamos. É clássico e você vivenciará uma verdadeira aventura antropológica. Aposte nisso.
Conselho do Manual para os bofes: Se vocês estão soltinhos pipa-avoada e estão querendo fazer média com uma mulher solteira, a acompanhe no show brega, cante, e vale até grava parte de uma música pra mandar pra ela depois via whatsapp. Não reclame. Curta. Faça concessões. Você ganhará muitas estrelinhas. No entanto, se você for escroto, ai fofis, fica na sua, e continue tocando punheta em casa. Se o seu amor quer cantar música romântica que seja ao seu lado, concorda? Seja esperto.

quinta-feira, 11 de junho de 2015

MANUAL PRÁTICO DA MULHER SOLTEIRA INDEPENDENTE: Episódio "constatação"



Tequila é a bebida do capeta.

Primeira dose = alegria
Segunda dose = euforia (eu sou o poder)
Terceira dose = hora de dar tchau (é melhor eu ir embora porque estou prestes a fazer alguma merda)
Quarta dose = não paguei pra ver. Me tira daqui. Saída à francesa é sempre a melhor opção.

Conselho da mulher solteira independente para as amigas: como tudo na vida, saiba a hora de parar. Gisele B. soube, aprenda com ela. Melhor encurtar a noite, outras virão... Seja sensata. A Gretchen não soube parar e olha no que deu. Medo.

Dica da mulher solteira independente para os rapazes: nunca se aproveite da situação quando uma mulher estiver vulnerável. A tequila de uma noite pode virar o veneno do dia seguinte. Segura a onda. Se for o caso leve a moça pra casa com segurança e atenção. Você ganhará pontos e a eterna gratidão de uma mulher. Não é propaganda de cartão de crédito, mas em tempos atuais admiração, respeito e reciprocidade não têm preço.

Não, eu não acordei de ressaca. Na bolsa: smartcaps, corretivo e batom